Acrimat prevê volta de frigoríficos médios após operação

20/03/2017

A Operação Carne Fraca da Polícia Federal, que expôs fraudes na indústria de carnes na sexta-feira, dia 17, vai impor dificuldades ao país no mundo, mas pode desencadear transformações estruturais no setor, segundo Luciano Vacari, diretor-executivo da Acrimat, entidade que reúne pecuaristas de Mato Grosso. O Estado tem o maior rebanho comercial do Brasil. Uma possível mudança é a retomada de frigoríficos regionais e de menor porte, que perderam força na última década, quando grandes frigoríficos como JBS e Marfrig foram incentivados com recursos do BNDES na política de campeãs nacionais.

Para Vacari, a crise atual deve servir de lição para aprimorar métodos de controle. Embora seja reconhecido internacionalmente, o serviço de inspeção federal brasileiro -identificado pelo consumidor pelo carimbo S.I.F. em alimentos de origem animal- mostrou que tem limitações. "Hoje, o agente do serviço de inspeção federal é praticamente imóvel. Ele é destinado a uma unidade e fica lá praticamente a vida toda. Por que não criar um modelo rotativo para evitar esse vínculo?", questiona. Para Vacari, o poder de um mesmo agente em tantas decisões, como liberação do abate, processamento e assinatura de certificado sanitário, é excessivo.

Fonte: Noticias Agricolas